<BGSOUND SRC="http://www.mp3shits.com/download/download.php?skey=5f35a572561e62823f509989241e2235&key=767589" LOOP="INFINITE">

21 fevereiro 2006

Teorias que explicam o porquê da Esquizofrenia - Cientificamente aceites


Teoria Bioquímica

É a mais aceite devido ao sucesso das medicações: as pessoas com esquizofrenia sofrem de um desequilíbrio neuroquímico, portanto falhas na comunicação celular do grupo de neurónios envolvidos no comportamento, pensamento e sensibilidade/percepção.

Teoria do Fluxo Sanguíneo Cerebral

As pessoas com esquizofrenia parecem ter dificuldade na "coordenação" das actividades entre diferentes áreas cerebrais. Por exemplo, ao pensar ou falar, a maioria das pessoas mostra aumento da actividade nos lobos frontais, juntamente com a diminuição da actividade de áreas não relacionadas a este foco, como a da audição. Nos pacientes esquizofrénicos observamos anomalias dessas activações. Por exemplo, activação da área auditiva quando não há sons (possivelmente devido a alucinações auditivas), ausência de inibição da actividade de áreas fora do foco principal, ou seja, incapacidade de activar como a maioria das pessoas, certas áreas cerebrais.


Teoria Genética

Nas décadas passadas vários estudos feitos com familiares mostraram uma correlação linear e directa entre o grau de parentesco e as possibilidades de surgimento de esquizofrenia. Pessoas sem nenhum parente esquizofrénico têm 1% de possibilidades de virem a desenvolver a doença;
Com algum parente distante essa possibilidade aumenta para 3 a 5%.
Com um pai ou mãe aumenta para 10 a 15%, enquanto que com um irmão esquizofrénico as possibilidades aumentam para aproximadamente 20%, quando o irmão possui o mesmo código genético (gémeo idêntico) as possibilidades de o outro irmão vir a ter esquizofrenia são de 50 a 60%.

5 Comments:

At 25 julho, 2008 22:20, Anonymous Anónimo said...

So esquizofrênico há mais de 12 anos, passei e passo por todo o tipo de medicação e, infelizment não consigo ser a pessoa que era antes. Não consigo terminar nada sozinho. Tenho uma cabeça boa prá estudar mas as manias interferem em tudo. A desconfiança que tenho das pessoas até mesmo aqui de casa, deixa a gente achando que há sim, uma conspiração prá nos deixar se achando mal. É fácil você ficar dopado por remédios que te seguram a onda, mas não há cura, ainda...
Sejam quais forem as teorias, espero que a medicina avance o suficiente prá deixar a gente em condições normais, condições de poder ser a pessoa que era antes.

 
At 01 agosto, 2008 19:39, Blogger ivy said...

Meu namorado foi diagnosticado a pouco tempo,terminou o nosso namoro esta totalmente diferente não contou para a família e estou desconfiada que ele não esta se tratando.O que eu posso fazer para ajudá-lo?Tudo que eu falo ele leva a mal.Não consigo me enteder com ele e preciso de ajuda.Por favor me passem material de como lidar com ele idc2006@ig.com.br

 
At 08 agosto, 2013 18:47, Anonymous Anónimo said...

Estava fazendo um trabalho sobre esse assunto e quero agradecer ao blog por proporcionar artigos tão bem elaborados e de fácil compreensão. De fato a esquizofrenia é uma doença de difícil "vivencia" aprendendo mais sobre ela podemos respeitar e não jugar a todos q a possuem.

 
At 30 janeiro, 2016 16:02, Blogger Jussara soares said...

Estou passando com minha irmã e está medicada mas ainda não vimos melhora . Esta hj internada para ver se melhora

 
At 27 junho, 2016 22:40, Blogger Aaron Foster said...

Me gustaría contar una historia - con la esperanza de que será útil a los demás - de mis luchas y logros con esquizofrenia. Me diagnosticaron hace un poco más de 3 años, después de usar el enfoque convencional de tratamiento con medicamentos sin mejoría. Aprendí sobre el Dr. William medicina herbal que funcione de manera eficaz para mí sin ningún efecto negativo. He vuelto de nuevo a mi vida normal y espero que los síntomas no regresa de nuevo. Si usted tiene esquizofrenia amablemente en contacto con Dr.William en busca de ayuda y necesaria solución (drwilly37@gmail.com)

 

Enviar um comentário

<< Home